Design sem nome (14)

Gerenciamento de resíduos: o que é e sua importância para as empresas13 min read

gerenciamento-de-resíduos

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelece que quem gera resíduos sólidos é responsável pelo gerenciamento ambientalmente adequado dos mesmos. Por outro lado, é preciso levar em consideração que cada tipo de resíduo tem sua peculiaridade, inclusive com possibilidade de reuso e reciclagem. Para atender estas peculiaridades, o gerenciamento de resíduos é uma ferramenta utilizada para atender as demandas de cada tipo.

Ter um gerenciamento de resíduos completo e eficiente é uma estratégia que pode ser usada não somente para aumentar a visibilidade de uma marca, mas também para atrair investimentos e até fechar mais negócios. Uma forte preocupação com o meio ambiente, através do aumento da reciclagem, é fundamental para as marcas cativarem uma geração que está cada vez mais preocupada com as questões socioambientais.

Conteúdo

O que são resíduos?

Resíduo é um subproduto natural de qualquer processo que utilize recursos e é qualquer material descartado ou que não é mais desejado. Esses materiais podem ser qualquer coisa, desde eletrônicos antigos, alimentos, roupas e materiais de construção. Geralmente, esses resíduos são materiais com diferentes composições químicas, em sua maioria recicláveis. No entanto, se não manuseados adequadamente, acabam em lixões e aterros sanitários, gerando problemas ao invés de receita.

A gestão de resíduos refere-se às ações tomadas desde o seu descarte até a sua disposição final. Inclui-se nesse processo  a  coleta, transporte, armazenamento, destinação e disposição dos materiais. A disposição é a etapa final do processo de gerenciamento de resíduos.

O tipo mais comum de disposição de resíduos é em aterro sanitário, que envolve enterrar ou despejar resíduos sólidos em uma área onde ele não contamine as águas subterrâneas, o solo ou o ar.

Mas antes de ser disposto toda a capacidade do material deve ser exaurida, ou seja, ele não deve ter mais nenhum uso. Nesta parte entra a reutilização, a reciclagem e o tratamento de resíduos.

A reutilização é o processo de continuação do uso de um produto, seja na mesma função ou não. Nela o material não passa por nenhuma transformação física ou química. A reciclagem envolve o reprocessamento de materiais descartados em novos produtos ou materiais para uso em processos de fabricação. Já o tratamento de resíduos é feito com o seu reaproveitamento energético, como é o caso de resíduos contaminados que vão para o coprocessamento em fornos de cimenteiras.

O que é gerenciamento de resíduos sólidos e qual a sua importância?

O gerenciamento de resíduos ou gerenciamento de descartes é, em suma, o processo de manejo dos resíduos desde a fonte geradora, passando pela educação ambiental, a segregação, o armazenamento, a coleta, o transporte, o tratamento até a disposição final. Isso inclui tudo, desde lixo doméstico a resíduos tóxicos.

O gerenciamento de resíduos mais eficiente é baseado na análise do todo o ciclo de vida dos produtos, que nada mais é que a história completa do produto através de sua fase de produção, distribuição,  vendas até o seu pós-consumo, que envolve o processo de coleta e destinação desses resíduos, até a sua disposição final.  

O objetivo geral do gerenciamento ambientalmente correto é reduzir o volume, dar tratamento adequado aos resíduos gerados, bem como conscientizar os responsáveis acerca das boas práticas ambientais, considerando a não geração, evitando perdas, a redução, reutilização, reciclagem e destinação ambientalmente adequados para minimizar os impactos negativos no meio ambiente.

Segundo pesquisa do IBGE (2010), cada habitante produz 1 tonelada de resíduos por dia, sendo que 51,4% é matéria orgânica, 31,9% de resíduos recicláveis e os outros 16,7% de rejeitos. Apenas 3% destes resíduos recicláveis são enviados para reciclagem, o restante acaba indo parar nos aterros sanitários ou nos oceanos, como acontece com muitos plásticos.

Para evitar desperdícios de recursos e gerar renda é preciso ter um gerenciamento de resíduos integrado. 

Gerenciamento de resíduos de serviço de saúde

Resíduos de serviço de saúde é um termo abrangente para todos os diferentes tipos de resíduos gerados em ambientes de saúde. Inclui tudo, desde agulhas usadas e equipamentos médicos até tecidos humanos e produtos farmacêuticos. Os resíduos de saúde podem representar uma série de ameaças à saúde das pessoas e ao meio ambiente quando não são descartados adequadamente.

Um dos principais obstáculos ao desenvolvimento sustentável é a gestão dos resíduos de serviços de saúde. Existem várias maneiras diferentes de gerenciar os resíduos de serviços de saúde, mas tudo se resume a duas categorias principais: tratamento ou descarte. O tratamento inclui métodos como esterilização, desinfecção ou irradiação, enquanto o descarte inclui enterro em aterro ou incineração. 

Existem muitas ineficiências no sistema de saúde, incluindo a gestão de resíduos. A gestão de resíduos de saúde é ineficiente e leva a muita poluição. Melhorar a gestão de resíduos de saúde envolveria fazer mudanças na forma como os hospitais armazenam, manuseiam e descartam seus resíduos médicos. Nos Estados Unidos, estima-se que o setor de saúde produza 4,8 milhões de toneladas de resíduos sólidos a cada ano. Isso inclui resíduos médicos e não médicos gerados por hospitais, clínicas, consultórios médicos e agências de atendimento domiciliar.

Gerenciamento de resíduos industriais

Resíduo industrial é qualquer tipo de resíduo gerado por um processo industrial e inclui itens como escória metálica da produção de aço, borra de óleo de refinarias de petróleo e resíduos biológicos de estações de tratamento de esgoto. Mas diferente do que muitos pensam, em indústrias são gerados também muitos materiais recicláveis, como papelão, plástico e metais.

A gestão de resíduos industriais pode ser uma tarefa difícil por ter uma variabilidade enorme de tipos de resíduos, o que muitas vezes deixa as empresas em busca de alternativas mais sustentáveis.

O desafio das indústrias é gerar mais receita com menos impacto ambiental. É onde entra o gerenciamento de resíduos industriais que contribui para a diminuição de recursos e desperdícios.

A eficiência desse gerenciamento tem desafios a serem superados. O primeiro deles, é a necessidade de uma mudança cultural nas empresas em referência ao manejo de seus resíduos. Esta cultura tão necessária passa pela conscientização de desenvolver estratégias sustentáveis. 

O outro desafio é ser sustentável. Sem uma pessoa responsável pelos resíduos, há um acúmulo de passivo ambiental. No entanto, os resíduos representam também uma oportunidade de investimento e desenvolvimento de tecnologias para redução em sua geração e reaproveitamento dos recursos naturais presentes.

Apesar das indústrias estarem cada vez mais interessadas em sustentabilidade, existe ainda muito greenwashing, que é o ato de empresas utilizarem discursos sustentáveis em propagandas, embalagens e outras coisas, sem no entanto, agirem de acordo com esses princípios.

As ações sustentáveis, além de ser uma exigência têm várias vantagens:

– Melhoria na visão da empresa pela sociedade e o mercado.

– Economia de recursos e diminuição do desperdício.

– Satisfação dos colaboradores ao trabalhar em uma empresa com preocupação ambiental e social.

Gerenciamento de resíduos da construção civil

Por a indústria da construção ser um importante motor econômico e social, o setor tem intensificado suas atividades e aumentado a geração de resíduos sólidos. Em 2005, 51% a 70% dos resíduos totais gerados, eram de construção civil.

De acordo com o Art. 13 da Lei n ̊ 12.305/2010, os resíduos de construção civil (RCCs) são aqueles gerados nas construções, em reformas, em reparos e em demolições de obras de construção civil, bem como os resultantes da preparação e escavação de terrenos para obras civis. São definidos e classificados em quatro classes pela Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) n° 307/2002, em função do seu potencial para serem reciclados ou reutilizados.

Na grande maioria dos municípios, a maior parte dos RCCs é depositada em bota-foras clandestinos, nas margens de rios e córregos ou em terrenos baldios. A deposição irregular de entulho ocasiona proliferação de vetores de doenças, entupimento de galerias e bueiros, assoreamento de córregos e rios, contaminação de águas superficiais e poluição visual.

O bom gerenciamento dos RCCs deve então passar pela segregação na origem, recepção de resíduos e armazenamento inicial, pré-triagem e separação, britagem e crivagem, separação dos resíduos contaminados, reutilização, reciclagem, tratamento e disposição final.

O que é o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos?

serviço-de-gerenciamento-de-descarte

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos é um documento técnico que deve ser elaborado de forma personalizada para cada empresa e deve conter as seguintes informações: os tipos de resíduos gerados, as quantidades e as formas adequadas de manejo em todas as etapas. Existem três etapas envolvidas no processo que são coleta, tratamento e descarte.

A coleta é o processo de coleta de resíduos sólidos de residências, instituições ou empresas e, em seguida, transportá-los para uma instalação para tratamento e descarte. O tratamento é o processo de separação de diferentes materiais, como materiais recicláveis, resíduos perigosos, rejeitos e resíduos compostáveis. O descarte é a etapa final em que o resíduo é enviado para o aterro sanitário.

Dessa forma, o processo possibilita a proteção da saúde humana, bem como do meio ambiente. Esta seção fornece uma breve introdução a cada etapa envolvida no gerenciamento de resíduos sólidos de forma ecologicamente correta. Por formar essas etapas corretamente e em tempo hábil é imperativo para gerenciar com sucesso os resíduos sólidos.

O que faz um serviço de gerenciamento de descarte?

O gerenciamento de descartes é o processo de gestão dos resíduos desde a sua geração até a sua disposição final. Inclui a recolha, transporte, tratamento e eliminação de resíduos de forma segura e ambientalmente responsável. 

Um serviço de gerenciamento de descarte não abrange todas as etapas do gerenciamento integrado de resíduos, pois ele está focado em apenas recolher os resíduos para a reciclagem, tratamento ou disposição, mas deixa de fora as etapas responsáveis por economizar recursos, evitar desperdícios e formar cidadãos mais conscientes.

Em complemento existe o serviço de Gestão de Resíduos por Assinatura da Recicla.Club, que envolve todas as etapas presentes no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS). É um serviço de terceirização de demandas relacionadas ao gerenciamento de resíduos, onde a terceirizada será a responsável por todos os procedimentos relativos a esta área. Desde a educação ambiental dos funcionários, emissão de MTR, controle de documentações de destinadores, até coleta e destinação de resíduos. Além disso, a rastreabilidade dos resíduos e os resultados podem ser acompanhados pela nossa plataforma online.

Confira as melhorias através da Gestão de Resíduos por Assinatura:

  • Redução da quantidade de resíduos gerados através da não geração e reutilização de produtos.
  • Aumento e melhora nos processos de reciclagem.
  • Destinadores em conformidade com a legislação ambiental e licenciado.
  • Não ter que lidar com vários destinadores. A Recicla.Club faz o contato por você.
  • Melhoria na segregação de resíduos.
  • Controle na palma da mão de todos os processos do gerenciamento de resíduos.
  • Marketing Verde.

Se a sua empresa também quer ter as melhorias da Gestão de Resíduos por Assinatura, entre em contato com o nosso comercial e faça um orçamento.

Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook
Twitter
LinkedIn