Design sem nome (14)

Aterro Sanitário: como funciona, impactos e soluções6 min read

aterro-sanitario-como-funciona

Conteúdo

O que é aterro sanitário?

O aterro sanitário é considerado um local para a disposição ambientalmente correta, ou seja, é uma obra de engenharia que garante um local seguro para a disposição de resíduos sólidos. Por ser considerado umas das técnicas mais eficientes para a disposição final, para ele são enviados todos os resíduos.

Os aterros sanitários são projetados para reduzir o impacto no meio ambiente, reduzindo a poluição do ar, a poluição da água e a contaminação do solo. Eles fazem isso usando uma variedade de técnicas, como:

  • Cobrir o lixo com terra ou outros materiais para reduzir odores e animais necrófagos
  • Usar sistemas de coleta de gás para capturar o gás metano emitido pelo lixo em decomposição e convertê-lo em eletricidade ou gás natural
  • Usar sistemas de coleta de lixiviados para coletar o líquido que se infiltrou no lixo e depois tratá-lo antes de liberá-lo de volta ao meio ambiente

A técnica consiste na disposição e compactação do resíduo no solo, através de camadas cobertas por material inerte. O aterro sanitário é capaz de resolver os problemas de descarte de resíduos sólidos evitando as contaminações geradas pela degradação da matéria.

Apesar de ter sido enviado em 59,5% dos resíduos produzidos em 2019 para os aterros sanitários, ainda temos 29 milhões de toneladas de resíduos sólidos sendo dispostos em aterros controlados e lixões (ABRELPE, 2020).

 

Aterro sanitário como funciona e qual a diferença entre aterro sanitário e aterro controlado?

Existem três métodos principais de disposição final de resíduos, são eles os aterros sanitários, os aterros controlados e os lixões. A diferença entre lixão e aterro sanitário você confere em “Aterros e Lixões: você sabe quais são as diferenças entre eles?”

O aterro sanitário é uma técnica de disposição ambientalmente correta segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), por ser uma técnica segura, eficiente e seguir normas técnicas de construção e operação. Estas são as principais características de um aterro sanitário segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo -CETESB:

  • Impermeabilidade da base do aterro;
  • Captação de gases através de drenos;
  • Sistema de coleta e tratamento de chorume;
  • Sistema de drenagem de águas pluviais.

O aterro controlado também é uma técnica de disposição e compactação do resíduo no solo, porém não havendo nenhum planejamento prévio, medida de tratamento dos efluentes e sem evitar a contaminação do solo e água subterrânea com chorume, além de ser uma fonte de gases do efeito estufa (GEEs).

aterro sanitario e aterro controlado

Impactos

Já foi apresentado ao longo deste artigo que o aterro sanitário é responsável pelo maior controle da degradação dos resíduos sólidos, além de evitar a contaminação do solo, água subterrânea e a proliferação de doenças.

Apesar disso, atualmente os aterros sanitários vêm sofrendo grandes críticas por não promoverem o incentivo à reciclagem ou tratamento dos resíduos gerados pelo estilo de vida das pessoas. Muito material enviado para o aterro sanitário ainda não esgotou todo o seu aproveitamento, ou seja, são enviados materiais reutilizáveis, recicláveis e passíveis de tratamento energético. Esta prática diminui o tempo de utilização do aterro sanitário e contribui para a necessidade de mais área para a disposição.

Vale a pena lembrar que mesmo os materiais recicláveis, seja pela mistura de materiais ou pela sua composição, nem sempre podem ser reciclados. E com isso, os aterros sanitários continuam sendo necessários.

Soluções

As soluções não visam extinguir os aterros sanitários, mas sim encontrar formas de se esgotar todos os usos dos materiais antes de serem enviados como rejeitos para os aterros sanitários.

A solução se inicia com a coleta seletiva, pois através dela os materiais são separados e enviados de acordo com a destinação mais adequada. A separação deve ser feita em materiais úmidos, secos, recicláveis e orgânicos.

A reciclagem garante a transformação química ou física dos resíduos em outros materiais ou matéria-prima que irá voltar para a economia circular.

Já a matéria orgânica pode ir para a compostagem, que é um processo de transformação da matéria orgânica por atividades biológicas aeróbias em substâncias húmicas e nutrientes para o solo e plantas.

Os aterros sanitários, então, só receberiam os materiais que não pudessem ser enviados para a compostagem ou para a reciclagem, garantindo uma menor necessidade de áreas para disposição final.

Para a gestão de resíduos orgânicos e recicláveis entre em contato!

Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook
Twitter
LinkedIn